quarta-feira, 22 de abril de 2009

PEDRAS DA CALÇADA


Eu caminho e olho
Olho e vejo o mundo...
E à minha volta, tudo é vida...
Tudo corre, tudo labuta.
E eu faço o mesmo
Corro... ando... labuto...
E ao andar...
Olho para as pedras da calçada...
Inertes... sem vida... sem sentirem...
Mas sempre prontas para servirem...
Para acarinharem os meus passos.
E para me ajudarem a caminhar...
E sem olhar para elas...
Sem saber que estão ali...
Ando... corro e avanço...
E sinto que vai ser sempre assim...
E que elas vão estar ali...
Até ao fim!...

LILI LARANJO

4 comentários:

Canduxa disse...

Quando conseguimos ver para além de nós próprios, pensamos nessas pequenas coisas....

Beijinhos
canduxa

manuel marques disse...

O suspeito foi calado
Não tendo as provas na mão
Não sabemos por que fado
Estando longe dele, então

Não teve companhia,
E nem reclamar ninguém,
Não chegou a ser refém,
Esteve ausente por um dia.

É nas pedras da calçada,
Que a canção nos sai melhor,
É nas pedras da calçada,
Que o desejo abafa a dor

Ofereceste-me uma rosa,
Quanto vale ao fim da vida?
Vale a voz silenciosa,
Vale a testa adormecida.

É nas pedras da calçada,
Que a canção nos sai melhor,
É nas pedras da calçada,
Que o desejo abafa a dor.

Pedras da Calçada
(letra de Jorge Palma / música de Paulo Gonzo e Luís Oliveira)

Todos os dias, após uma labuta de oito horas ,passo por aqui e sacio a minha sede.
Um bem haja querida amiga.

Beijo com carinho e amizade.

lili laranjo disse...

Canduxa
Mas é preciso que olhemos mesmo para além de nós.e muita gente tem "medo" de olhar.
Um beijo

lili laranjo disse...

Manuel
E eu fico feliz por te ver...
um beijo

Momentos

CLIC PARA VER TODAS AS FOTOS

Da Rose para mim

Da Rose para mim
Belo SELo Guardo-o com Carinho

Sor Cecilia obrigada

Sor Cecilia obrigada
Estoi a tu lado